sexta-feira, 21 de abril de 2017

Arquiteta de Maringá registra boletim por ter nome envolvido em caso Baleia Azul


A arquiteta Gabriela Tortorelli, moradora de Maringá, nunca imaginou que precisaria fazer um Boletim de Ocorrência por ter o nome exposto de maneira irregular na internet. Mas na última semana, ela teve o nome dela divulgado nas redes sociais como sendo participante do caso “Baleia Azul” e estaria distribuindo balas envenenadas nos colégios da cidade.
De acordo com a arquiteta, a irmã teria ligado informando que seu nome estaria sendo usado para causar pânico nos pais e ao mesmo tempo pedindo para que as crianças e adolescentes aceitassem as balas.
Quando chegou na delegacia para registrar a ocorrência, encontrou um homem que faz o transporte das crianças aos colégios e ele já estaria fazendo uma queixa sobre a vítima. Os dois conversaram e o homem retirou a queixa após saber que o nome dela era usado para apavorar as crianças. O caso é investigado pela Polícia Civil de Maringá.
Com informações de André Almenara/Rede Massa

Nenhum comentário:

Postar um comentário