DESPERDÍCIO DE ÁGUA NO JD. PANORAMA EM SARANDI

quarta-feira, 15 de julho de 2015

SARANDI: Homem investigado pela morte da menina Beatriz é preso

Jair de Azevedo Palma de 46 anos conhecido pelo apelido de "Jair do Cavalo", foi preso no final da última segunda-feira (13) em uma residência na cidade de Marialva. A Polícia Militar de Marialva foi quem deteve o foragido. Jair de Azevedo estava sendo procurado pela justiça por ter participado de uma fuga de presos que aconteceu no mini presídio de Maringá e por um crime de estupro em Marialva. O suspeito já teria cometido um estupro contra a enteada de 16 anos. De acordo com a Polícia Civil de Maringá, Jair de Azevedo enquanto estava preso foi investigado por ser também suspeito de ter raptado, estuprado e assassinado a garota Beatriz da Silva Pacheco de 10 anos. A menina morreu de forma brutal em junho de 2012 em Sarandi. No dia do rapto da menina, a vítima brincava com um primo próxima de sua casa quando um homem ofereceu um determinado valor para a Beatriz ajudar a procurar um cavalo. Depois disso, a menina desapareceu e só foi encontrada no dia seguinte em uma mata. Palma trabalhava em uma chácara localizada no Jardim São Silvestre, no limite entre Maringá e Sarandi. A propriedade fica a cerca de mil metros do local onde o corpo da menina foi encontrado. Esse detalhe do local onde o suspeito trabalhava, e mais o retrato falado feito por uma testemunha chamaram a atenção dos policiais para uma investigação mais profunda. No dia 25 de setembro de 2013, seis dias após ser preso por furto, o suspeito fugiu do mini presídio de Maringá antes que fosse submetido a coleta de material para a confrontação genética no caso Beatriz. Em uma outra oportunidade, Jair de Azevedo conseguiu fugir da cadeia em outra fuga de detentos. A Polícia Civil na ocasião tinha coletou o sangue do suspeito que foi encaminhado para Curitiba. O resultado do DNA não foi compatível com o DNA encontrado no corpo da menina Beatriz. Palma negava e continua negando envolvimento no rapto e a morte da garota. Portanto, Jair de Azevedo Palma fica inocentado desse crime contra a garota Beatriz da Silva Pacheco. O caso continua sendo investigado pela Polícia Civil de Sarandi. A mãe da vítima, Erika da Silva, continua na esperança de ver o assassino preso. André Almenara

Nenhum comentário:

Postar um comentário