quinta-feira, 7 de maio de 2015

PARANÁ - POLÊMICA: Coronéis da PM mandam carta a Richa repudiando declarações de Francischini

O comandante-geral da Polícia Militar, Cesar Kogut, junto com quinze outros coronéis da PM, assinou um manifesto de repúdio às declarações do secretário de Segurança, Fernando Francischini, relativas ao confronto da polícia com professores e manifestantes no Centro Cívico na quarta-feira passada.   Na carta, os coronéis dizem que Francischini não pode simplesmente jogar a culpa na tropa, sem assumir parte da responsabilidade. Dizem que ele participou do planejamento, foi informado da possibilidade de haver feridos e aprovou o plano de contenção. Mais do que isso, foi informado durante os fatos sobre tudo o que estava acontecendo na Praça Nossa Sra. da Salete.   A carta é assinada por 16 dos 19 coronéis da ativa. Tudo isso significa que, embora Francischini tenha sido mantido no cargo pelo governador Beto Richa (PSDB), ele tem um grande problema nas mãos: acalmar uma tropa que não aceita o modo como ele coordenou as ações que resultaram no maior confronto público da PM na história do estado.  A permanência de Francischini foi decidida numa reunião na manhã desta quarta com o governador Beto Richa. Veja mais sobre o tema clicando aqui.     Nela, o comandante-geral volta a insistir que Francischini sabia de tudo o que estava sendo planejado e diz que o secretário, inclusive, deu ordens diretas durante a “Operação Centro Cívico” para o subcomandante-geral da Polícia Militar.  Fica cada vez mais evidente que, com a permanência de Francischini, Kogut não deve continuar à frente do comando da polícia.  CLICK AQUI e veja matéria no Gazeta do Povo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário