quinta-feira, 16 de abril de 2015

Vídeo mostra terceira pessoa na cena, diz parente de jovem morto em motel

A família de André de Freitas Perez Silva, de 22 anos, encontrado morto em um motel de Paranavaí, no dia 4 de abril, diz que está aliviada com a divulgação de que a Polícia Civil está investigando a participação de uma terceira pessoa no crime. Um parente de Silva, que não quis se identificar, afirma que a família sempre acreditou que os jovens foram assassinados. André e Gabriela Cerci Bernabe, de 26 anos, foram encontrados mortos dentro de um quarto de um motel. Segundo a Polícia Civil, os dois saíram de uma boate na madrugada do dia 4 de abril e não voltaram para casa. As famílias registraram um Boletim de Ocorrência sobre os desaparecimentos, mas pouco tempo depois, os corpos foram encontrados.

Os laudos sobre as mortes confeccionados pelo Instituto Médico-Legal (IML) apontaram que Gabriela morreu devido a uma fratura no pescoço e André por embolia pulmonar causada por intoxicação. O parente de André diz que teve acesso as imagens do motel e, as gravações mostraram que uma pessoa abordou o casal assim que eles estacionaram o carro na suíte. Ainda conforme esse familiar, o suspeito estava no quarto ao lado e chegou até onde estava o casal rastejando. “Não dá para ver o rosto dele, mas é bem nítido que essa terceira pessoa entra na garagem rastejando, está quase colada a parede”, declara.

Esse familiar diz que as imagens mostram ainda que o suspeito entrou no motel sozinho e, antes de abordar o casal, tentou entrar em outro quarto. Assim que rendeu André e Gabriela, o familiar afirma que o suspeito baixou a porta da garagem e, a partir daí, não é possível saber o que ocorreu dentro do quarto. Mas, defende que primeiro o criminoso matou Gabriela e depois o menino. Para a família, o suspeito montou a cena ao colocar os dois sobre a cama e espalhar drogas pelo quarto. 

Depois de quase duas horas, essa pessoa aparece saindo da suíte, e cinco minutos depois sai do estabelecimento com o próprio carro. “Nós tínhamos certeza que outra pessoa matou os dois, porque vimos às imagens e também porque sumiram alguns pertences dos dois. A Gabriela estava sem os brincos, uma corrente – que o pai falava que ela sempre usava -, o dinheiro e os cartões dela foram levados. 

O André estava sem o relógio, o dinheiro da carteira dele e que estava na caminhonete foram roubados”, pontua o parente. O familiar declara que não dá para saber quem é a pessoa. “Nós sempre acreditamos no trabalho da Polícia Civil. Infelizmente, algumas pessoas anunciaram que o André matou a Gabriela e depois se matou. Com essa informação da polícia, mostramos que essa versão não passou de um equívoco”, conclui. André era o único filho do casal, mas tinha duas irmãs por parte da mãe. Ele morava e estudava direito em Curitiba. Do G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário